Equipe

Equipe

quinta-feira, 28 de abril de 2011

'Não é uma tarefa fácil a desencarnação', diz Lula

Ex-presidente participou da abertura do 8º Congresso Nacional da CUT. Lula pediu apoio dos metalúrgicos para o governo de Dilma Rousseff.

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva disse na noite desta quarta-feira (27), que não está sendo fácil esquecer as tarefas que desempenhava como presidente. Lula discursou por mais de uma hora durante a abertura do 8º Congresso Nacional de Metalúrgicos da CUT, em Guarulhos (SP).

O ex-presidente foi aplaudido em pé pelos militantes, que cantaram em coro o nome de Lula no começo e no fim do discurso.

"Eu ainda não desencarnei totalmente do meu mandato de presidente. Não é uma tarefa fácil a desencarnação. É um processo difícil. E eu assumi um compromisso com a minha consciência e com a companheira Dilma de que era preciso um processo de desencarnação para que pudéssemos construir a cara e o jeito de governar da nossa presidente, sem a cara do ex-presidente. E, ao mesmo tempo, eu queria também ensinar a alguns ex-presidentes como é importante ser um ex-presidente sem dar palpites. Eu tenho falado mais do passado, e deixado o futuro para que a nossa presidente fale", disse Lula.

Presidente de honra do PT, Lula admitiu diante dos metalúrgicos que está com saudades de percorrer o Brasil em caravanas, como fazia nos tempos de campanha política.

"Estou com uma saudade, um comichão, uma coceira esquisita, com vontade de fazer caravana, viajar pelos estados, fazer plenárias, visitar quilombos e indígenas. Eu estou com vontade de tudo, mas eu tenho de me controlar pois somente com autocontrole é que eu vou conseguir desencarnar e assumir o papel de ex-presidente de verdade", disse.

Estou com uma saudade, um comichão, uma coceira esquisita, com vontade de fazer caravana, viajar pelos estados, fazer plenárias, vistar quilombos e indígenas. Eu estou com vontade de tudo, mas eu tenho de me controlar pois somente com autocontrole é que eu vou conseguir desencarnar e assumir o papel de ex-presidente de verdade"Luiz Inácio Lula da SilvaDurante o discurso, Lula relembrou alguns dos principais programas desenvolvidos pelo seu governo, como o Luz para Todos e o ProUni. Lula chegou a dizer que nenhum governo na "humanidade" praticou a democracia como o seu.

"Eu duvido que na história da democracia praticada pela humaniodade tenha havido um governo que tenha exercido a democracia na plenitude que nos exercitamos".

Sem citar nomes, o ex-presidente alfinetou adversários políticos, dizendo que a frase que se tornou símbolo do seu governo foi criada para atacar os opositores.

"Não tenho nenhuma vergonha de dizer que quando eu dizia 'nunca antes na história deste país' era para provocar os adversários. Eles nunca fizeram nada. Eu sei quantas vezes dizeram que a Marisa não poderia ser primeira-dama porque ela não ia conseguir limpar os vidros do Palácio do Planalto. Quantas vezes disseram que eu não poderia fazer política externa porque eu não falava inglês nem francês. E eu provei que podia ser melhor que eles", disse.

Lula lembrou que nem sempre a relação foi fácil entre governo e sindicatos, mas que "nunca perdeu" a noção de que lado ele estava. "Muitas vezes, os companheiros sindicalistas foram duros com o governo, e nós fomos duros com os companheiros. Mas nunca perdemos a visão de que lado nós estávamos, de que lado nós representávamos. No momento difícil foi o movimento popular que assumiu a defesa do governo".

Lula vai atuar para tentar consenso sobre reforma política, diz PTEm vídeo, Lula defende criação de fundo público para campanhasO ex-presidente ainda afirmou que não há nenhuma possibilidade de divergências entre ele e a presidente Dilma, e pediu que os sindicalistas apoiem o governo de Dilma. "Eu sei que às vezes vocês ficaram chateados, ficaram decepcionados, mas neste momento vocês têm de dizer, ele cometeu um erro, mas ele era nosso. Ela cometeu um erro, mas ela é nossa. Portanto, é nossa obrigação dar sustentação para ela [Dilma], para que tenhamos uma Copa do Mundo maravilhosa. Depois vamos fazer uma Olimpíada maravilha", disse.

O ex-presidente terminou seu discurso falando sobre a crise econômica, e disse que o governo vai cuidar da crise como "se cuida de um filho".

"O problema da crise econômica não é nosso. Não é porque vocês ganharam aumento de salário, é por termos uma política relacionada a uma economia do dólar, que resolveu fazer um ajuste fiscal e afeta o resto. Nós temos consciência que vamos cuidar desta crise como se cuida de um filho. Nós não vamos permitir que a inflação volte. Nós, que somos trabalhadores, temos a obrigação que a inflação não volte neste país. Quem perde com a inflação não é a Dilma nem o Guido [Mantega, ministro da Fazenda]. É quem vive de salário. Temos de ser homens e mulheres guerreiros contra a inflação".


Fonte: G1

Partidos promovem 5 encontros com filiados até sábado na Paraíba

Com vistas ao fortalecimento para as eleições municipais de 2012, vários partidos realizam seus encontros esta semana na Paraíba. DEM e PTB realizam encontros hoje, PMDB se reúne amanhã. Já o PSD e o PSDB, no sábado. O PTB faz na manhã de hoje, a partir das 10h, um “encontro de filiações”, na sede do partido, na capital. Por sua vez, o encontro regional do DEM ocorre às 16h, no auditório da Asplan, e espera a presença de figuras nacionais da legenda, como o presidente nacional da sigla, senador José Agripino, os líderes da Câmara e do Senado, Antônio Carlos Magalhães Neto e Demóstenes Torres, respectivamente, além de lideranças paraibanas.

Dentre essas lideranças, estão o presidente estadual do partido Efraim Morais, o deputado federal Efraim Filho, a bancada de seis deputados estaduais da Assembleia, prefeitos, vereadores e outros democratas. O presidente municipal do DEM, vereador Bosquinho, disse que essa pré-convenção deve ser prestigiada, inclusive, pelo deputado Ronaldo Caiado.

Segundo o presidente do DEM na Paraíba, Efraim Morais, além de discutir a preparação do partido para as eleições municipais de 2012, serão debatidos também temas como a criação de um novo partido e a tese de fusão do PSDB com o DEM, que Efraim Morais de antemão se declara contra. “Temos que fazer primeiro as eleições municipais”, frisou.

As convenções municipais do DEM estão previstas para o dia 16 de julho. Na última eleição, o DEM elegeu 39 prefeitos na Paraíba. Segundo Efraim, a meta é chegar a 50 prefeitos nas eleições de 2012.

PSDB

Neste sábado, também, o PSDB promove, também em João Pessoa, o 1º Encontro de Presidentes da Juventude. O encontro pretende debater políticas públicas para os jovens e fazer com que o partidorediscuta a sua mensagem para a região.

O evento contará com as presenças do presidente nacional do PSDB, deputado Sérgio Guerra, os senadores Cícero Lucena e Cássio Cunha Lima, os deputados Federais Ruy Carneiro e Romero Rodrigues, os deputados estaduais Hervázio Bezerra e João Gonçalves, os vereadores Marcos Vinícius Nóbrega, Elisa Virgína e Luiz Flávio (João Pessoa), além de Tovar Correia Lima (Campina Grande), dentre outras lideranças.

PTB ‘lançará’ nome de Arthur a prefeito de CG

O PTB realiza, na manhã de hoje, a partir das 10h, na sede do partido, na capital, um encontro com vistas a ampliar o número de filiados e fortalecer a legenda na Paraíba, inclusive lançando um candidato a prefeito em Campina Grande - o empresário Artur Almeida Segundo o vereador Tavinho Santos, a meta é alcançar 8 mil filiações em todo o Estado até 2012. Na sequência, a sigla deverá realizar novos eventos em Campina Grande e Sousa.

“Vamos realizar essa campanha nas principais regiões do Estado, já que o PTB em 2008 foi muito bem nas eleições municipais, elegendo 24 prefeitos, 35 vice-prefeitos, 204 vereadores, no entanto em 2010, nós fomos um desastre em função da desunião do partido e da falta de unidade. Agora, queremos retomar a força do partido em nível e eleições municipais”, disse Tavinho.

Segundo o vereador, o impasse interno no PTB pelas divergências sobre a relação do partido com o Governo do Estado acabou. “Todos chegaram a um denominador comum, onde Carlos Dunga indicou seis membros do Diretório estadual, Armando Abílio indicou seis, e ele é o 13º, então continua como presidente. Então o nosso partido está unido”, avalia Tavinho Santos.

Fonte: aline lins

TCE imputa débitos de R$ 2 milhões a ex-prefeitos por irregularidades

O Tribunal de Contas da Paraíba emitiu parecer contrário à aprovação das contas de 2008 apresentadas pelo ex-prefeito de Barra de São Miguel, Pedro Pinto da Costa, a quem imputou o débito de R$ 1.941.929,58 por despesas sem comprovação documental. A decisão deu-se conforme voto do relator do processo, conselheiro Arnóbio Viana, e o parecer do Ministério Público ratificado, na ocasião, pelo procurador-geral Marcílio Toscano Franca Filho.

Despesas também não comprovadas ocasionaram a imputação do débito de R$ 78.436,50 (acrescido de multas superiores a R$ 10,6 mil) ao prefeito de Bom Jesus, Manuel Dantas Venceslau, como entenderam o relator Arnóbio Viana e o representante do Ministério Público. O processo decorreu, neste caso, de inspeção especial que o TCE promoveu no município, em 2009. Cabem recursos contra ambas as decisões.

COM LOUVOR

Já o prefeito de Picuí, Rubens Germano Costa, teve as contas de 2009 aprovadas por unanimidade. Seu comparecimento à sessão plenária, onde tratou da própria defesa, foi referido pelo presidente do TCE, conselheiro Fernando Catão, como gesto que favorece a transparência de uma administração pública. O relator desse processo foi o conselheiro Umberto Porto.

O prefeito ainda recebeu os cumprimentos da Corte pela inclusão de Picuí na lista das “50 Melhores Administrações Brasileiras de 2010, sob o Enfoque da Sustentabilidade Urbana”, prêmio a cargo do Instituto Ambiental Biosfera e do Instituto Brasileiro de Estudos Especializados (Ibrae).

Ainda na sessão, também foram aprovadas as contas do ex-prefeito de Gado Bravo (Paulo Alves Monteiro, exercício de 2007), dos prefeitos de Remígio ( Cláudio Régis, 2008) e Santa Cruz (Raimundo Antunes Batista, 2009), da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (2007), e da Junta Comercial (2009).


Fonte: JP

Autorizado reajuste de água na Paraíba

A Agência de Regulação da Paraíba (ARPB) autorizou, ontem, o reajuste de 16,93% da tarifa da água para ser cobrado a partir de 1º de maio. O percentual é o mesmo que a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) havia solicitado na semana passada, na audiência pública. Já os consumidores de baixa renda e inscritos na tarifa social, que consomem até 10 metros cúbicos por mês, não sofrerão reajuste. O índice havia sido antecipado no último mês pelo JORNAL DA PARAÍBA.

O presidente da ARPB, José Otávio Maia Vasconcelos, argumentou que “os custos de produção da Cagepa com energia elétrica, pessoal e produtos químicos somados à defasagem da tarifa influenciou na autorização do índice, que mesmo assim ficou bem aquém da inflação acumulada no período. Na última semana, examinamos a proposta da companhia, solicitamos mais dados à Cagepa para concluir a avaliação do relatório da ARPB pela autorização integral. O índice deverá ser publicado nos próximos dias no Diário Oficial do Estado”, explicou.

Durante a audiência pública, ocorrida na semana passada, o assessor de planejamento da Cagepa, Joaquim Marques, revelou que nos últimos três anos a energia elétrica sofreu reajuste de 40%. “Houve ainda gastos na parte de manutenção de equipamentos e insumos”, apontou. A Cagepa citou ainda que o IGP-M, por exemplo, que serve de base para elevação de tarifas como energia elétrica, subiu 20,14% no período.

A tarifa de água da Cagepa ficou congelada por quase três anos, mas o presidente da ARPB, José Otávio Maia Vasconcelos, afirmou que esse acúmulo poderia ser menor. “Nesse intervalo, a ARPB concedeu aumento, mas o governo não quis conceder, por isso acumulou a defasagem”, lembrou. O último aumento aconteceu em junho de 2008.

Segundo a Cagepa, além da tarifa de água ficar congelada, os consumidores de baixa renda terão reduzida a taxa de esgoto, dos atuais 25% para 10% sobre a conta da água. Atualmente, essa faixa de consumo paga R$ 13,20 da conta de água e de esgoto e será reduzido para R$ 11,61, representando uma queda de 12%. Já uma conta de um consumidor fora da tarifa social, que paga R$ 100 por mês passará para R$ 116,93. Dados da Cagepa revelam ainda que há 717 mil ligações no Estado e cerca de 40 mil são de tarifa social.

No último mês, o presidente da Cagepa, Deusdete Queiroga, apresentou um balanço da companhia. “Terminamos 2010 com uma dívida acumulada de R$ 342,7 milhões e um montante de inadimplência de R$ 200 milhões de consumidores, sendo R$ 112 milhões do setor privado e outros R$ 88 milhões, no setor público. Contudo, sabemos que não será apenas com o aumento da tarifa que serão resolvidos os graves problemas financeiros que encontramos na Cagepa”, declarou.

Fonte: jean gregório

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Bancada e governo definem cinco pleitos para apresentar a Dilma

O grupo de trabalho do “Pacto pela Unidade” da Paraíba, formado por parlamentares do Congresso Nacional, se reuniu ontem com o secretário-executivo do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) na Paraíba, Ricardo Barbosa, para definir os cinco pleitos prioritários que serão apresentados à presidenta Dilma Rousseff (PT). O encontro aconteceu no gabinete do senador Wilson Santiago (PMDB), em Brasília.

Depois da reunião, os tópicos definidos em consonância entre pelo governo do Estado e os parlamentares foram os seguintes: reforma e ampliação do porto de Cabedelo; implantação da Zona de Processamento de Exportação Santa Rita; construção do ramal da Ferrovia Transnordestina; instalação da Zona Franca do Semi-árido; e liberação das emendas de bancada, com foco na duplicação da alça noroeste de Campina Grande.

O secretário Ricardo Barbosa disse após o encontro que estava satisfeito com o resultado. “Acho que foi extremamente oportuna (a definição) em torno de eixos estruturantes para o desenvolvimento do Estado da Paraíba e a solidariedade apresentada por todos os parlamentares presentes, além da condução espetacular do senador Vital do Rêgo Filho”, afirmou.

“A bancada concordou com todos os nove temas que foram considerados prioritários pelo governo. Mas assimilou como bandeira de bancada cinco desses pontos (incluindo aqueles elencados pelos parlamentares)”, acrescentou.

ACERTADA

O senador Wilson Santiago (PMDB) ressaltou que a escolha do representante do governo para a reunião foi acertada. “Foi positivo primeiro a partir da escolha do interlocutor do governo, pois o secretário Ricardo Barbosa é o responsável pelo encaminhamento das obras do PAC aqui em Brasília. Ele está mais próximo de cada um de nós aqui no Distrito Federal e assim fica fácil”, afirmou.

Secretário apresentou propostas

Durante a reunião, o secretário-executivo Ricardo Barbosa apresentou as propostas do governo. Ao todo o Estado levou para análise de nove tópicos - rolagem da dívida do Estado - dentre eles a rolagem da dívida do Estado, ou seja, o refinanciamento junto ao Tesouro Nacional.

Todos os cinco parlamentares do grupo de trabalho escolhidos em reunião que antecedeu a Semana Santa estavam presentes - os deputados federais Ruy Carneiro (PSDB), Efraim Filho (DEM) e Wellington Roberto (PMDB), além dos senadores Vital do Rêgo Filho e Wilson Santiago.


Fonte: cecília noronha

Projeto de lei da LDO aporta na Assembleia

O projeto de lei n.º 131/2011, que dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da Lei Orçamentária para o exercício de 2012 – a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) já aportou na Assembleia Legislativa da Paraíba e o presidente da Comissão de Acompanhamento e Controle da Execução Orçamentária da Assembleia Legislativa, deputado Gervásio Maia Filho (PMDB), designou como relator o deputado Vituriano de Abreu (PSC).

A matéria chegou à Casa na última terça-feira, dia 19, e publicada no Diário do Poder Legislativo (DPL) na quarta-feira, dia 20. Na próxima semana, a Comissão de Orçamento se reunirá para elaborar um calendário de tramitação, inclusive definindo prazo para apresentação de emendas.

“Acabamos de indicar o relator da LDO e, a partir de agora, estaremos analisando o projeto que começa a tramitar na Comissão de Orçamento. Dentro dos prazos regimentais, daremos a maior celeridade possível”, disse Gervásio, informando que os deputados têm até o mês de junho para votar a matéria em plenário, sob pena da Assembleia não entrar em recesso.

Tanto Gervásio como o deputado líder do governo Lindolfo Pires (DEM) disseram que ainda vão analisar o projeto da LDO. O deputado Vituriano adiantou que a equipe de seu gabinete começará imediatamente a trabalhar na matéria. “É uma tarefa um pouco difícil, porque desta lei, nós vamos montar o próximo ano de governo, então teremos que fazer uma lei abrangente e que seja bem eficaz, para que o governo possa trabalhar em cima das suas projeções”, disse o relator.

Na mensagem do Executivo, de n.º 018, o governador Ricardo Coutinho afirma que “as prioridades a serem contempladas na Lei Orçamentária Anual compreendem ações e metas que expressam o propósito de induzir o desenvolvimento sustentável do Estado mediante a elevação das oportunidades, compatibilizando crescimento econômico, melhoria da qualidade de vida do paraibano e preservação ambiental”.

O projeto da LDO revela que as prioridades e metas da administração pública estadual para 2012 serão as que vierem a ser contempladas no Plano Plurianual 2012-2115, e que na lei orçamentária, os recursos relativos a programas sociais serão prioritariamente destinados aos atendimentos de habitantes de município de menor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), inclusive a periferias de médio e grande porte do Estado.

Fonte: aline lins

TRE apura ração animal em contas do PSDB

O diretório estadual do PSDB utilizou recursos do Fundo Partidário para compra de ração animal durante o ano de 2009. A irregularidade foi constatada na prestação de contas do partido. O relator do processo, desembargador Genésio Gomes, votou pela rejeição das contas durante a sessão de ontem do Tribunal Regional Eleitoral. A juíza Niliane Meira pediu vista dos autos e o julgamento será retomado na próxima sessão.

Ao analisar as contas, o desembargador Genésio Gomes constatou que o PSDB usou indevidamente recursos do Fundo Partidário com alimentação, combustível e para pagamento de multas eleitorais. No total, foram gastos R$ 32 mil, sendo R$ 13 mil só com multas eleitorais, segundo a prestação de contas apresentada pela legenda à Justiça Eleitoral.

OUTRO LADO

O advogado Edward Johnson Abrantes, que atuou em defesa do PSDB, disse que o único erro do partido foi usar os recursos do fundo partidário no pagamento das multas. As demais despesas, segundo afirma, estão dentro da legalidade.

Sobre as despesas com ração animal, Edward Johnson explicou que o partido tinha um cachorro que fazia a segurança do prédio e foram gastos durante todo o ano R$ 300 na compra dos alimentos. O que deve ter ocorrido, segundo o advogado, é algum erro de digitação na prestação de contas do partido.

Diante do pedido de vistas por parte da juíza Niliane Meira, o advogado da legenda tucana assegura ter a oportunidade de corrigir o que considerou ‘lamentável equívoco”.

O advogado também vai apelar, no momento certo, para que o TRE reconsidere a decisão de suspender repasses do Fundo Partidário.

Irregularidades atingem candidatos

Durante a sessão de ontem também, a corte eleitoral examinou o relatório com informações referentes a receitas e despesas apresentado por alguns candidatos que disputaram as eleições de 2010, alguns deles inclusive não prestaram contas de suas campanhas.

Dentre as contas de campanha examinadas na sessão foram avaliadas as de Jailton José de Sousa Costa (que concorreu à vaga na Assembleia Legislativa) e Fernando Barata e Ana Paula de Oliveira (que disputaram cadeiras na Câmara dos Deputados).

Nesses casos o TRE determinou a remessa de peças ao Ministério Público Eleitoral.

A não apresentação de contas impede a obtenção de certidão de quitação eleitoral no curso do mandato ao qual o interessado concorreu.

Também consideram-se não apresentadas as contas quando a respectiva prestação estiver desacompanhada de documentos que possibilitem a análise dos recursos arrecadados e dos gastos de campanha, por parte da Justiça Eleitoral.


Fonte: lenilson guedes

terça-feira, 26 de abril de 2011

MS suspende repasse para 17 cidades da PB

O Ministério da Saúde (MS) determinou a suspensão da transferência de recursos financeiros para 17 municípios da Paraíba, através das portarias de número 856 e 857, publicadas no Diário Oficial da União de ontem. O bloqueio atingiu os municípios que ainda não aderiram ao Pacto da Saúde (5 cidades) e aqueles que apresentam irregularidades no cadastro de equipes de Saúde da Família, suspensos estão Campina Grande, Cajazeiras, Itaporanga, Santa Teresinha, Boa Vista e Triunfo.

De acordo com a assessoria do MS, o Pacto pela Saúde deveria ter sido firmado até 31 de dezembro do ano passado por meio da adesão de municípios, Estados e União ao Termo de Compromisso de Gestão (TCG), e deveria ser renovado anualmente para estabelecer metas e compromissos para cada ente da federação. Segundo o Ministério da Saúde, o bloqueio é uma forma de evitar que recursos já transferidos deixem de ser aplicados. A situação permanece por tempo indefinido, mas pode ser regularizada posteriormente com a adesão ao pacto.

Já em se tratando das questões de cadastro irregular, a portaria do MS esclarece que o bloqueio da transferência de incentivos financeiros são referentes ao número de equipes de Saúde da Família, de Saúde Bucal e de Agentes Comunitários de Saúde, apresentaram duplicidade no cadastro de profissionais no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES) como base cadastral para o Sistema de Informações da Atenção Básica (SIAB).

De acordo com o MS, em Cajazeiras, 22 equipes de saúde apresentaram problemas de duplicidade de cadastro e tiveram suspensos o repasse de recursos. A cidade foi quem mais apresentou este tipo de irregularidade. Em segundo lugar, aparece Ibiara, com 11 situações irregulares, Itaporanga, 10, e Nova Olinda.

Equipes do PSF com cadastro irregular

Em Campina Grande, no Agreste paraibano, o Ministério da Saúde encontrou sete equipes com cadastro irregular.

Ainda de acordo com as portarias baixadas pelo Ministério da Saúde e publicadas no Diário Oficial da União, os municípios paraibanos que apresentaram irregularidades no cadastro de profissionais foram Boa Ventura, Cajazeiras, Campina Grande, Catingueira, Conceição, Cuité, Dona Inês, Ibiara, Itaporanga, Nova Olinda, Santa Teresinha e Triunfo.

Em relação às cidades que não aderiram ao Pacto da Saúde, são elas: Aparecida, Areia de Baraúnas, Boa Vista, Vista Serrana e Santa Teresinha.

PACTO

O Pacto pela Saúde é um conjunto de reformas institucionais pactuado entre as três esferas de gestão (União, Estados e municípios) do Sistema Único de Saúde, com o objetivo de promover inovações nos processos e instrumentos de gestão. Sua implementação se dá por meio da adesão de municípios, Estados e União ao Termo de Compromisso de Gestão (TCG), que, renovado anualmente, substitui os anteriores processos de habilitação e estabelece metas e compromissos para cada ente da federação.

As transferências dos recursos também foram modificadas, passando a ser divididas em seis grandes blocos de financiamento (Atenção, Básica, Média e Alta Complexidade da Assistência, Vigilância em Saúde, Assistência Farmacêutica, Gestão do SUS e Investimentos em Saúde).

Também foi lançada a Série Pactos pela Saúde. É uma iniciativa do Ministério da Saúde em parceria com Conass e Conasems, que objetiva difundir políticas, instrumentos e orientações para apoiar a gestão na implantação de inovações advindas com o Pacto pela Saúde.

Fonte: luzia santos

Salário médio cresce 1,76% na PB, mas continua o menor do Brasil

O salário médio dos admitidos com carteira assinada na Paraíba registou crescimento real 1,76% no primeiro trimestre, quando comparado ao mesmo período do ano passado, mas o valor continua ainda o menor do país. De acordo com os dados do levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), a média subiu de R$ 671,09, em 2010, para R$ 682,90 este ano, mas insuficiente para superar o Rio Grande do Norte, que cresceu 2,23%, alcançando R$ 697,50. Há dois anos, a Paraíba mantém o menor valor dos admitidos.

Segundo os dados do Ministério, a remuneração média dos paraibanos contratados este ano atingiu 76,35% do valor nacional (R$ 894,32), enquanto na região Nordeste o valor chega a 88,42% (R$ 772,26). No ranking do país, os estados de São Paulo (R$ 1.031,09), Rio de Janeiro (R$ 994,56) e o Distrito Federal (R$ 904,62) registraram as maiores médias de janeiro a março.
No Nordeste, o Estado de Pernambuco registrou o maior crescimento do país (7,54%), subindo de R$ 772,55 para R$ 830,77, e agora lidera o rendimento dos admitidos, seguidos pela Bahia (R$ 816,97) e o Maranhão (R$ 787,67), todos acima da média da Região. Os estados do Piauí (-6,03%) e Sergipe (-2,1%).

Nos três meses deste ano, mais de 96,24% das vagas criadas na Paraíba foram concentradas em quatro setores: serviços, comércio, construção civil e indústria de transformação. Os dados contabilizados são apenas dos admitidos, enquanto os desligamentos somaram 40,4 mil trabalhadores entre janeiro e março, o que resultou no saldo negativo de 7,2 mil empregos no período.

No recorte por gênero, a Paraíba se diferenciou do país e da região Nordeste, com as mulheres (2,43%) registrando crescimento real do salário de admissão acima dos homens (1,53%). O salário médio do sexo feminino chegou a R$ 674,84, enquanto os homens (R$ 685,93). No Nordeste, os trabalhadores do sexo masculino foram contratados por R$ 790,96, aumento de 2,82% em relação ao primeiro trimestre de 2010. Já as mulheres, por R$ 724,67, incremento de 1,63%. No país, o percentual de aumento para os homens foi da ordem de 3,84%, ao passarem de R$ 904,45 no primeiro trimestre de 2010, para R$ 939,21 no mesmo período de 2011. O das mulheres foi de 1,80% (R$ 815,57).

De acordo ainda com o levantamento do Ministério do Trabalho, os trabalhadores com o grau de Superior Completo tiveram a maior elevação nos três primeiros meses do ano comparado ao mesmo período de 2010 (4,91%). Em segundo lugar está o Superior Incompleto, com aumento de 3,92%, acompanhado pelo 6º a 9º Fundamental (2,34%). O menor crescimento foi registrado entre os trabalhadores analfabetos, com crescimento de 0,74%.
No país, a elevação dos salários médios reais de admissão aconteceu em 22 das 27 Unidades da Federação no primeiro trimestre deste ano, em comparação com 2010. Os destaques foram Pernambuco (7,54%), Amapá (6,49%) e Paraná (4,05%), enquanto as principais quedas ocorreram nos estados do Piauí (-6,03%) e Tocantins (-2,14%) e Sergipe (-2,1%).

Postos criados têm expansão de 16,56%

Apesar salário de admissão ainda baixo, houve expansão das vagas criadas na Paraíba no primeiro trimestre deste ano que chegou a crescer 16,56%, quando comparado ao ano passado, passando de 28,4 mil postos, nos três primeiros meses de 2010, para 33,2 mil este ano.

De acordo com os dados do Caged, os setores que mais contribuíram para o aumento de admissões em 2011 em relação ao ano passado foram serviços (25,79%), comércio (14,83%l) e construção civil (12,6%). Das quatro atividades que mais empregaram no trimestre, a indústria de transformação foi a que cresceu menos (3,49%), enquanto a agropecuária apresentou retração de 15,09%.

Em número absolutos, o setor de serviços também liderou em vagas criadas, aumentando de 8,1 mil, em 2010, para 10,2 mil vagas este ano, o comércio passou de 7,5 mil para 8,7 mil vagas e a construção civil fechou o trimestre com 6,9 mil vagas contra 6,1 mil no ano passado.

O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, afirmou, ontem, em João Pessoa que não acredita que as medidas do governo federal para reduzir consumo e conter a inflação atinja a expansão do emprego com carteira assinada. “Temos motivos a mais para acredita que a expansão do empregos continuará igual ou superior ao do ano passado. Não acredito que a desaceleração econômica. Temos uma demanda interna ainda forte, investimentos para a Copa do Mundo e das Olimpíadas, além de muitos investimentos externos chegando. Quanto à região Nordeste, mesmo não apresentando volume de emprego maior que a região Sudeste, ela vem crescendo a taxas acima do país e puxa alta. O crescimento do emprego será igual ou superior ao de 2010”, declarou Lupi.

Fonte: jean gregório

segunda-feira, 25 de abril de 2011

TSE aponta sobras nas campanhas de 118 candidatos em 2010 na PB

Sobrou dinheiro nas campanhas de pelo menos 118 candidatos que disputaram as eleições de 2010 na Paraíba. As sobras de campanha totalizaram quase R$ 200 mil, conforme a prestação de contas desses candidatos. O dinheiro que sobra representa a diferença positiva entre os recursos arrecadados e os gastos realizados em campanha e os bens e materiais permanentes. Os números estão disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Na eleição de governador, os dois principais candidatos, Ricardo Coutinho (PSB) e José Maranhão (PMDB), contabilizaram apenas sobras de bens e materiais permanentes. No caso de José Maranhão, a sobra foi R$ 61.208,88. Já na campanha de Ricardo Coutinho foi R$ 8.545,00. De acordo com a legislação eleitoral, os recursos que sobram da campanha dos candidatos vai para os partidos políticos.

Na Paraíba apenas cinco partidos não contabilizaram sobras de campanha: PCO, PHS, PSDC, PSTU e PTC. Dos que declararam haver dinheiro em caixa, o PMDB aparece em primeiro lugar com um saldo positivo de R$ 145.990,84. Houve casos, por exemplo, de partidos que tiveram saldo de apenas R$ 2,00. Mesmo assim, o candidato terá de prestar contas e devolver o dinheiro que sobrou ao seu partido.

A legislação eleitoral diz que se ao final da campanha ocorrer sobra de recursos financeiros, bens

ou materiais permanentes, em qualquer montante, esta sobra deverá ser declarada na prestação de contas. A lei específica que as sobras serão utilizadas pelos partidos políticos, devendo tais valores ser declarados em suas prestações de contas anuais perante a Justiça Eleitoral, com a identificação dos candidatos.

Por cargos, o maior número de candidatos com saldo disponível em caixa foi para deputado estadual, que somou 76. Em seguida vem os candidatos a deputado federal, com 36. Para a eleição de governador apenas dois candidatos, Ricardo Coutinho e José Maranhão, registraram sobras de campanha.

Na disputa para o Senado foram três candidatos - Cássio Cunha Lima, Efraim Morais e Vital do Rêgo Filho. Houve ainda o caso de um candidato a suplente de senador (Marcondes Gadelha) que teve sobras de campanha.


PMDB lidera ‘ranking’ de candidaturas

O PMDB lidera o ranking com maior número de candidatos com sobras de campanha. No total são 23: 14 para deputado estadual (Renata Cavalcante Monteiro, Raniery Paulino, Paulo Rogério, Maria José Silva, Francisca Motta, Gilvan Freire, Cícera da Nóbrega, Mayenne-Van de Sousa Bandeira, Olenka Maranhão, André Gadelha, Iraê Lucena, Márcio Roberto Álvaro Gaudêncio Neto e Expedito Leite), 7 para federal ( Roberto Paulino, Nilda Gondim, Wilson Filho, Manoel Junior, Benjamim Maranhão, Hugo Motta e José Luis Clerot), 1 senador (Vitalzinho), e o governador (José Maranhão).

Em seguida vem o PSDB com 11 candidatos: 5 para federal (Antônio Ivanes de Lacerda, Romero Rodrigues, João Batista Viegas, Ruy Carneiro e Paulo Nepomuceno), 5 para estadual (Pedro Medeiros, Ariano Fernandes, Dinaldo Wanderley, Inácio Justino e João Gonçalves) e 1 senador (Cássio Cunha Lima).

Também com 11 candidatos vem o DEM, sendo a maioria estadual (João Henrique, Assis Quintans, José Aldemir, Antônio Agnaldo Bezerra da Silva, Lindolfo Pires, Fábio Rodrigues de Oliveira, Marcone Tarradt Rocha e Abimadabe Vieira). Já para a eleição de deputado federal foram 3 candidatos (Kleber Fernandes da Rocha Souza, Fábio Rodrigues de Oliveira e Efraim Filho). O candidato a senador Efraim Morais também registrou sobras.


Fonte: Jornal da Paraiba

Mercado volta a elevar previsão de inflação em 2011

Projeção para o IPCA passou de 6,29% para 6,34%, em um patamar cada vez mais próximo do teto da meta estipulada pelo governo.

O mercado financeiro voltou a elevar a projeção para a inflação em 2011, segundo o boletim Focus, divulgado hoje pelo Banco Central (BC). De acordo com a pesquisa, a expectativa para a inflação oficial neste ano subiu de 6,29% para 6,34%, em um patamar ainda mais distante do centro da meta de inflação, que é de 4,50%. A meta tem margem de tolerância de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo.

Os analistas mantiveram a projeção para a inflação em 2012 em 5,00%. No caso da inflação de curto prazo, o mercado elevou de 0,70% para 0,79% a previsão para o ¿?ndice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de abril de 2011. Para a inflação de maio, a taxa prevista passou de 0,42% para 0,41%.

O mercado financeiro manteve a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2011, em 4,00%, segundo o boletim Focus. Para o ano que vem, a projeção para o crescimento da economia recuou de 4,25% para 4,21%. A estimativa para o crescimento da produção industrial em 2011 passou de 4,08% para 4,06%. Para 2012, a projeção para a expansão da indústria recuou de 4,68% para 4,65%.

Juros e dólar

De acordo com a pesquisa Focus, os analistas também mantiveram a previsão para a Selic (a taxa básica de juros da economia) para o fim de 2011, em 12,25% ao ano. Hoje, a taxa está em 12,00% ao ano. A projeção para a Selic no fim de 2012 seguiu em 11,75% ao ano.

Para o mercado de câmbio, os analistas preveem que o dólar encerre 2011 em R$ 1,65, mesmo valor estimado na semana anterior. A projeção do câmbio médio no decorrer de 2011 passou de R$ 1,63 para R$ 1,62. Para o fim de 2012, a previsão para o câmbio foi de R$ 1,71 para R$ 1,70.

Contas externas

O mercado financeiro alterou a previsão para o déficit nas contas externas em 2011. A previsão para o déficit em conta corrente neste ano passou de US$ 61,50 bilhões para US$ 60,50 bilhões. Para 2012, o déficit em conta corrente do balanço de pagamentos estimado seguiu em US$ 69,10 bilhões.

Já a previsão de superávit comercial em 2011 subiu de US$ 17,20 bilhões para US$ 18,00 bilhões. Para 2012, a estimativa para o saldo da balança comercial passou de US$ 10,00 bilhões para US$ 10,05 bilhões. Analistas mantiveram a estimativa de ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED) em 2011, em US$ 45,00 bilhões. Para 2012, a previsão também seguiu no mesmo valor de US$ 45,00 bilhões.


Fonte: IG

Nascimento de novo partido tem regras rígidas e já causa ‘frenesi’

Durante o início do processo de reabertura política, nos idos de 1979, foi aprovada a lei que restabelecia o pluripartidarismo no país e as legendas começaram a se multiplicar. A Constituição Federal de 1988 foi o golpe de misericórdia nos rastros da ditadura militar. Ao mesmo tempo, a Carta Magna abriu caminho para o país mergulhar ainda mais em um “mar” de siglas. Tudo em nome da democracia. Basta recolher algumas assinaturas, ter representatividade numérica em estados e pronto. Quando a criação de partidos acontece a partir de dissidências de políticos insatisfeitos, essas representações numéricas geralmente já existem, o que facilita bastante todo o processo de fundação.


A chamada “Lei dos Partidos” (nº 9.096/95) determina que só após adquirir personalidade jurídica, prevista na Lei Civil, é possível registrar o estatuto da legenda no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nessas condições, a sigla poderá participar do processo eleitoral, receber recursos do Fundo Partidário e ter acesso gratuito ao rádio e televisão nos termos fixados na lei. Também preenchendo os pré-requisitos é que a legenda poderá assegurar exclusividade na denominação e nos símbolos.


A chefe da seção de Registros e Publicações do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB), Ana Helena Ribeiro de Moraes, ressaltou que não tem como precisar o tempo médio que leva até a criação de um partido. Ela apenas observou que alguns trâmites são necessários e exigidos por lei. “O registro civil (do partido), em âmbito nacional, deve ser feito em cartório do Distrito Federal. Depois, é preciso comunicar (o registro) à Justiça Eleitoral (TSE), juntamente com todos os documentos necessários elencados na legislação 9.096/95”, explicou.


Ainda de acordo com Ana Helena, a medida que é comunicado o registro ao TSE, forma-se um processo. Caso a solicitação preencha os requisitos legais, o pedido é deferido. “Assim, está criado o partido em âmbito nacional”, observou. “O procedimento é semelhante na fundação posterior dos diretórios estaduais e municipais, levando em consideração os tribunais das devidas instâncias”, acrescentou.




Fonte: CECÍLIA NORONHA

PB precisa aplicar R$ 11,1 mi para erradicar a miséria

Sobreviver com apenas R$ 200 mensais para sustentar uma família de dez pessoas é o desafio cotidiano vivido pela catadora Severina Pereira da Silva, de 52 anos. “Falta tudo, não tenho dinheiro pra comprar comida e até a roupa das crianças é doação”, revela sem esconder a situação precária em que vive no barraco de lona erguido num terreno próximo do Ginásio Meninão, em Campina Grande. Para Marineide Galdino, de 49 anos, moradora da Comunidade do “S”, na capital, as dificuldades são parecidas. Para manter a família de oito pessoas com escassos recursos é preciso driblar a fome. “Eu não vou negar, tem dia que não há ‘mistura’ em casa. Não há o que comer e agente passa fome”, contou. O drama de Severina Pereira e Marineide Galdino atinge quase 365 mil paraibanos e mais de 5,7 milhões de nordestinos que sofrem com a miséria extrema e renda inferior a dois reais ao dia por pessoa, considerando famílias que sobrevivem com 1/8 do salário mínimo que em setembro 2009 era de R$ 465.

Apesar da dimensão do problema, a solução financeira para resgatar toda essa multidão em estado de miséria é mais viável do que se imagina. É o que aponta um estudo da Universidade Federal do Ceará (UFC) sobre o custo da erradicação da miséria em cada Estado do Nordeste. Segundo a pesquisa, a Paraíba precisa investir cerca de R$ 11,1 milhões mensais para erradicar a miséria extrema.

“Nossa pesquisa mostrou que se os governos tiverem a intenção de erradicar a miséria vai ser viável resolver o problema, porque o custo fiscal é possível de ser pago. O monstro é grande, mas pode ser combatido”, acredita o professor Carlos Alberto Manso, um dos coordenadores do estudo. Graduado em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e doutor em economia, o professor é um dos pesquisadores do Laboratório de Estudos da Pobreza (LEP) da UFC.

No caso paraibano, a aplicação de apenas 2,13% da receita do Estado em programas de transferência de renda seria suficiente para elevar o nível de renda para quem vive em situação de miséria extrema. O custo foi calculado considerando a receita corrente do Estado em 2009, que foi de R$ 6,2 bilhões, segundo dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN). O custo anual de um programa de erradicação da miséria na Paraíba ultrapassaria a marca dos R$ 133,3 milhões.

Os dados são da pesquisa “Uma Caracterização da Extrema Pobreza no Brasil”, realizada com dados de 2009 pelo Laboratório de Estudos da Pobreza (LEP), da UFC e divulgada no final de janeiro deste ano. O estudo traça um mapa da miséria no país, apontando a quantidade e a proporção de pessoas vivendo em extrema pobreza em cada Estado brasileiro. “O objetivo é medir o tamanho da escassez de renda da extrema pobreza no Brasil e comparar isso com toda a renda da sociedade. Fizemos um comparativo com as receitas correntes de cada Estado”, explica Carlos Alberto Manso. No Brasil, o custo de erradicação da pobreza extrema seria de R$ 340,2 milhões ao mês, equivalente a apenas 0,96% da receita nacional.

Os custos se referem apenas à aplicação de recursos para elevação da renda de quem vive em miséria extrema, com renda mensal inferior a 12,5% do mínimo por pessoa, o que equivale a R$ 58,10 mensais. Mesmo assim, estas pessoas continuariam vivendo abaixo da linha da pobreza, que é demarcada por uma renda de meio salário mínimo por mês (R$ 232,5) para cada pessoa.


Mas para acabar de vez com a pobreza nessa faixa de renda, os custos seriam ainda maiores e inviáveis para a situação financeira da maioria dos Estados brasileiros.

Nesse caso, a Paraíba teria de investir R$ 225 milhões por mês para garantir que nenhum paraibano viva com uma renda inferior à metade do salário mínimo. Um programa de transferência direta de renda como este comprometeria 13,96% da receita do Estado.


Fonte: Jornal da paraiba

DINHEIRO VOLTA PARA COFRE FEDERAIS PORQUE A PREFEITA FLAVIA NÃO REALIZOU OBRAS.

¨Sem corrupção nessa gestão é preferível não realizar as obras¨denunciou o vereador. A verba foi devolvida este ano.

O vereador de Piancó, Antonio de Pádua Leite (PT), denunciou neste sábado (23), que a prefeita da cidade, Flávia Serra Galdino (PP), devolveu aos cofres do Tesouro Nacional, no início deste ano, a importância de R$ 96.742,05 (noventa e seis mil, setecentos e quarenta e dois reais e cinco centavos). Veja aqui o extrato da devolução da verba!
Esse dinheiro deveria ser investido no incentivo ao esporte do município, inclusive com construção de núcleos recreativos e de lazer para que o jovem e toda a população piancoense tivessem oportunidade de desfrutar de locais próprios para a prática desportiva.

Segundo a denúncia de Pádua, a prefeita não utilizou o dinheiro para a realização de obras na cidade porque a aplicação do dinheiro seria fiscalizada pela Caixa Econômica Federal e como a entidade financeira é muito rigorosa, a gestora não teria chance para desviar os recursos públicos.

“Sem corrupção na gestão da prefeita é preferível não realizar as obras”, disse o vereador

De acordo com o parlamentar, enquanto a prefeita devolve quase cem mil, as quadras de esportes do município ficam abandonadas e os jovens sem opções de lazer.

FONTE: CATINGUEIRA ONLINE

sábado, 23 de abril de 2011

Um mês após a decisão do STF, Cássio aguarda posse no Senado

Neste sábado (23) completa um mês da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que considerou como inválida a aplicação da Lei da Ficha Limpa nas eleições de 2010. A decisão beneficiou o ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB), que ganhou o direito de assumir uma vaga no Senado Federal. No entanto, diferentemente do que o tucano esperava, passados 30 dias, ele continua fora do Congresso Nacional e sem expectativa de data para tomar posse.

Candidato mais votado na disputa pelo Senado no pleito do ano passado, com mais de um milhão de votos, Cássio teve sua candidatura barrada com base na Lei da Ficha Limpa pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com a decisão do STF, o ex-governador acreditava que seu calvário havia acabado, mas ele continua se prolongando.

Logo após a decisão, Cássio disse confiar que estaria tomando posse em no máximo 30 dias. Naquele momento, o Recurso Extraordinário impetrado por sua defesa estava no gabinete da Procuradoria Geral da República (PGR) e o tucano confiava que ele logo seria encaminhado ao ministro Joaquim Barbosa, relator do caso. O que só veio a acontecer na noite do último dia 15. O ex-governador chegou a se queixar por várias vezes do fato de o processo não andar. “Não sei por que tanta demora”, disse em uma recente entrevista.

Na última segunda-feira (18) a defesa de Cássio entrou com uma petição no STF pedindo que o ministro Joaquim Barbosa desse celeridade ao julgamento do recurso. Por outro lado, no mesmo dia, foi registrada a entrada de outra petição. Movida pelo vereador de Santa Luzia, Bivar de Sousa Duda (PT), ela pede que o recurso seja desprovido e que o processo seja devolvido ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Já na quarta-feira (20) todas as petições foram anexadas ao processo e com isso Joaquim poderia se pronunciar sobre o caso. No entanto, em função do feriado da Semana Santa, a decisão do magistrado acabou não saindo.

Nesses 30 dias após a decisão, Joaquim Barbosa já deu provimento a quatro recursos similares ao de Cássio. O fato aumenta a confiança do ex-governador para que a decisão seja igual.

“Eu nunca perdi a confiança em Deus, eu nunca deixei de perseverar, nunca deixei de acreditar que esse resultado final positivo chegaria. Se Deus quiser, a solução do problema está mais perto do que longe”, disse.

Fonte: Jhonathan Oliveira

Potencial de crescimento do NE é alvo de estudo

A região Nordeste, que vem crescendo, em média, a dois pontos percentuais acima da economia nacional, se fosse um país independente seria a 39ª economia do mundo, com um Produto Interno Bruto (PIB), a soma de suas riquezas, avaliada em R$ 416 bilhões. Atualmente, já é uma economia maior, por exemplo, que a chilena. Com 54 milhões de consumidores, o cenário da região combina atualmente uma forte mobilidade social positiva provocada pelos investimentos públicos e privados nos últimos anos, além da valorização real do salário mínimo e de políticas assistencialistas como o programa Bolsa Família.

Um amplo estudo, encomendado pela Associação Brasileira de Agência de Publicidade (Abap) à empresa de consultoria Nielsen, foi apresentado na Bahia, no início de abril, no maior evento de publicidade já realizado na região, que contou com palestras de grandes anunciantes como a Nestlé, dos diretores das empresas como, por exemplo, a Fiat e a Danone, que estão se instalando na região, e da Google do Brasil, responderam com dados e informações porque o “Nordeste, [é] a Bola da Vez”, na economia nacional.

Os dados da pesquisa desvendam ainda mais o potencial da região, que incorporou milhões de famílias nordestinas das classes D e E ao mercado de consumo devido à ampliação dos programas sociais do governo federal e da expansão do emprego formal oriundo dos grandes investimentos em infraestrutura, sob o guarda-chuva do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Além disso, a ampliação de grandes indústrias como, por exemplo, a Ambev e a Bunge, e a chegada de indústrias de marcas líderes como a Kraft Foods, Bauducco, Unilever, que ainda são alimentadas na região pela expansão das marcas regionais. Não é à toa que os maiores escritórios de consultoria do país apontam, segundo a Nielsen, que o Nordeste deverá apresentar um crescimento chinês nos próximos anos.

Mesmo reunindo os diretores de grandes anunciantes, multinacionais e de empresas que estão de olho em oportunidade de negócios na Região, o evento contou com a participação de apenas três paraibanos. Um deles foi o publicitário Lucas Sales, presidente da Abap-PB (Associação Brasileira de Agências de Publicidade, seccional Paraíba), que integrou a equipe de organização e mediou um dos debates no encontro. “Não podemos mais perder tempo. A baixa participação de paraibanos no maior evento da região é um péssimo sinal. As empresas paraibanas e os empreendedores precisam buscar mais informações para criar relacionamentos e traduzir essa nova realidade como forma de entender melhor esse novo momento que o Nordeste atravessa. De posse dessas informações, construir um planejamento estratégico para participar de forma mais intensa desse novo crescimento”, declara Lucas.

A Paraíba, que atualmente disputa com o Rio Grande do Norte a posição de quinta maior economia da região, tem projeção de crescimento, nos próximos dois anos, abaixo da média da própria região. Para 2011 e 2012, as projeções da empresa de consultoria Datamétrica, que realiza estudos do PIB, apontam que a Paraíba crescerá 3,71%, abaixo do Nordeste (5,06%) este ano e, em 2012, da mesma forma (4,24%), enquanto o Nordeste se mantém com taxa de 5,03%.

Para Lucas Sales, a Paraíba precisa refletir seu futuro na região, com as boas perspectivas e oportunidades de negócios que vão surgir. “O nosso estado ficou à margem do desenvolvimento regional durante décadas. Agora, precisamos escolher um modelo de desenvolvimento.


Precisamos ter a consciência exata do que queremos ser enquanto economia, sociedade e meio ambiente. Precisamos de um projeto que nos faça sentar à mesa, deixando de lado as diferenças e predileções. A gente precisa construir um projeto de futuro premiando o talento, a inovação, a competência e a viabilidade do seu desenvolvimento sustentável”, aponta.

O presidente da Abap-PB e também diretor da agência 9ideia acrescenta ainda que os empreendedores e empresas do estado “não podem ficar reféns de governos, pois eles passam. Precisamos adquirir uma consciência clara sobre o nosso futuro. Na Paraíba, a nossa dependência de governos é quase integral. Isso é muito ruim”, avalia.

Economista vê atração de capital privado

Apesar dos pesados investimentos em infraestruturas governamentais e chegada de empresas multinacionais à região terem sido pulverizados nos estados do Nordeste, o estudo da Nielsen captou apenas um único forte investimento nos últimos anos na Paraíba: a duplicação da BR-101, no valor R$ 2,1 bilhões, pelo governo federal. A rodovia, que faz a ligação da capital paraibana com Recife e Natal, vai intensificar com maior segurança e rapidez os negócios na faixa litorânea, impulsionar o turismo regional, vai credenciar João Pessoa para ser uma das subsedes da Copa do Mundo 2014, pela proximidade das outras sedes dos jogos (Recife e Natal).

Para o economista Martinho Campos, com exceção da Paraíba, “os investimentos em infraestrutura nos demais estados são demonstrativos de que há uma forte expectativa governamental em fazer avançar as condições econômicas nordestinas. Como os capitais privados sentem que isso é verdadeiro, estão tocados no seu instinto ‘animal’, como diria Delfim Netto, e assim estão jogando suas sobras no crescimento capitalista da região”, declarou.

Segundo o estudo da Nielsen, o Nordeste pode ser definido, sem exagero, como um “grande canteiro de obras”. Os investimentos governamentais em infraestrutura vão desde os portos espalhados na região, com destaque para o porto de Suape, em Pernambuco, que recebeu investimentos da ordem de R$ 3 bilhões, do porto do Pecém, no Ceará (R$ 423 milhões), de Aratu, na Bahia (R$ 400 milhões) e do porto de Itaqui, com R$ 240 milhões, no Maranhão, passando pela indústria extrativista da Petrobras que investirá R$ 8 bilhões, na Bahia, de R$ 3 bilhões em Pernambuco, enquanto outros R$ 5,2 bilhões chegaram ao Maranhão pela Alcoa, uma das líderes mundiais na produção de alumínio, que fez a expansão de sua refinaria, o maior projeto de uma refinaria de alumina já realizado no mundo. Há ainda o setor de ferrovia com a Transnordestina que já investiu R$ 163 milhões no Piauí.

A pesquisa destaca ainda investimentos privados que chegaram à região, mas que a Paraíba não foi contemplada. Os destaques foram a instalação da Suzano Papel e Celulose, no Maranhão, com valor de R$ 6 bilhões.

Apesar da pulverização dos investimentos privados, o estado de Pernambuco concentrou uma boa parte das empresas.

Fonte: jean gregório

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Alan Cavalcanti perde PSDB, por esta ao lado de CASSIO

Um dos Atuais pre-cadidatos a prefeito de Piancó, perde a diretoria provisória do PSDB, por ser aliado do Senador Cassio Cunha Lima, grupo este que sua familia faz parte a 28 anos.

O pior é que o senhor Alan Cavalcanti pediu filiação ao PSDB, desde novembro de 2010, no municipio de Piancó e até a presente data, conforme certidão da Justiça Eleitoral, que encontra-se abaixo, não encontra-se filiado ao partido,


PORQUE????????? JÁ ESTA SENDO VITIMA DE PERSIGUISSAM POLITICA ????????






Certidão de Filiação

Justiça Eleitoral

Tribunal Superior Eleitoral

Certidão



Certifico que, de acordo com os assentamentos do Sistema de Filiação Partidária e com o que dispõe a Res.-TSE nº 23.117/2009, o eleitor abaixo qualificado NÃO ESTÁ FILIADO A PARTIDO POLÍTICO.

Nome do Eleitor: ALAN CAVALCANTI SAMPAIO


Certidão emitida às 09:21:14 de 21/04/2011



Esta certidão de filiação partidária é expedida gratuitamente. Sua autenticidade poderá ser confirmada na página do Tribunal Superior Eleitoral na Internet, no endereço: http://www.tse.gov.br, por meio do código de autenticação: 8OPK.MZHC.AO8F.WMAZ





A política do Vale do Piancó tem nos surpreendido todos os dias com sua dinâmica, e a conveniência de alguns caciques de plantão, que pensam ser verdadeiramente, donos de partidos no Estado da Paraíba.








As lideranças do PSDB de Piancó foram pegos de surpresa, com a decisão do presidente estadual do partido, senador Cícero Lucena, que através de uma decisão, absurda e traiçoeira, dissolvel o partido e nomeou, uma comissão provisória formada, por Marcos Aurélio Caldas e o seu pai, o ex prefeito de Piancó Edvaldo Leite de Caldas. Mais o que não ficou bem explicado por parte do senador é que essas mesmas pessoas votaram contra os candidatos do PSDB no ultimo pleito, inclusive contra o senador Cássio Cunha Lima, expressão máxima do partido no Estado. Será que o senador Cícero se esqueceu, que o PSDB de Piancó tem uma relação histórica de fidelidade, não só com o partido, mais com seus aliados, que hoje comandam o nosso estado, a exemplo do governador Ricardo Coutinho. O que estão pensando, os aliados de todos os tempos da legenda no Piancó, como o vereador Quinca Remígio e a vereadora Cristiane Remígio, que, como as outras lideranças, também acreditaram, no já sem rumo Cícero Lucena.

Diante desses acontecimentos, é preciso que o partido faça uma reflexão, sobre quem realmente tem compromisso com a legenda no Estado da Paraíba. O que não pode ficar confirmado é esse golpe baixo, contra as verdadeiras lideranças do partido em Piancó. E o povo, como fica senador, que nas ultimas eleições elegeu seu verdadeiro representante no senado da Republica, Cássio Cunha Lima.

Esse comportamento golpista do senador Cícero, envergonha todas as lideranças do partido no Vale do Piancó, que um dia acreditaram nas suas propostas de fidelidade e compromisso. Só nos resta agora, orientar o religioso Cícero Lucena, para que ele possa refazer, a sua pontual caminhada, ate SANTIAGO DE COMPOSTELA, pagando assim, através de muita reza os seus pecados políticos, contra as lideranças e o povo de Piancó.






Fonte: Portal Piancó







PIB da Paraíba deve chegar a 3,71% em 2011

A previsão do crescimento da economia paraibana em 2011 foi mais uma vez rebaixada pela empresa de consultoria Datamétrica, com sede no Recife. O Produto Interno Bruto (PIB) do Estado foi reduzido de 4,54%, projetado em dezembro do ano passado, para 3,71%, no estudo de Análise de Conjuntora concluído este mês, enquanto a região Nordeste (5,06%) terá alta superior à da economia brasileira (4%).


De acordo com o Estudo, a Paraíba terá o menor crescimento do Nordeste. Já o crescimento do Nordeste este ano continuará sendo puxado pelas três maiores economias: Pernambuco (6,14%), Ceará (5,26%) e Bahia (5,22%). Mas os estados do Maranhão (5,07%), Piauí (4,72%) e Sergipe (4,28%) também vão crescer acima da média do país. Apenas a Paraíba (3,715), Alagoas (3,76%) e o Rio Grande do Norte (3,86%) terão taxa abaixo do país. “É normal que essa onda de investimentos que chega ao Nordeste traga empresas interessadas em se instalar nos maiores mercados consumidores”, avalia o sócio da Datamétrica, Alexandre Rands.

Além da “herança” do desequilíbrio financeiro da esfera pública estadual da Paraíba, que tem forte influência na riqueza gerada, fatores como dificuldades em cumprir os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), incerteza de aumento nos repasses do Fundo de Participação do Estado (FPE) e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), devido à desaceleração prevista da economia brasileira pesam na redução da atividade econômica do Estado.


Segundo a Datamétrica, “a situação financeira de vários estados nordestinos inspira atenção” e “terão que seguir forte ajuste fiscal em 2011, como são os casos da Paraíba e do Rio Grande do Norte”, destaca.

De acordo com o IBGE, a administração pública da Paraíba tem forte participação no PIB. Em 2008, último resultado, o setor público detinha 31,3% do total da riqueza gerada no Estado, o que acaba influenciando na redução ou expansão da economia. A Datamétrica aponta que outro fator que pode pesar na taxa de crescimento da economia dos estados é o corte no orçamento da União de R$ 50 bilhões. “Se efetivado, reduzirá as previsões iniciais relativas aos valores desses repasses ao longo do ano, em função de seu efeito contracionista sobre a economia e a consequente queda na arrecadação do IR”.

Fonte: jean gregório

terça-feira, 19 de abril de 2011

Convênio amplia cirurgias eletivas e beneficia 141 cidades da Paraíba

Um convênio firmado entre a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) e o governo do Estado pretende ampliar o número de cirurgias eletivas realizadas, por mês, na Paraíba através do Sistema Único de Saúde (SUS). O acordo vai beneficiar diretamente 141 municípios pactuados com João Pessoa para a realização de procedimentos cirúrgicos de média complexidade. O ‘Mutirão das Cirurgias Eletivas’ foi assinado ontem pelo prefeito da capital, Luciano Agra e o governador, Ricardo Coutinho, e está orçado em R$ 5,2 milhões.

A meta é realizar 12.807 cirurgias eletivas entre maio a dezembro de 2011, nas especialidades de Oftalmologia, Cirurgia Vascular, Otorrinolaringologia, Cirurgia Geral, Ginecologia e Urologia. O mutirão deve reduzir pela metade o tempo de espera por procedimentos cirúrgicos de pequena a média complexidade. Na capital, por exemplo, a média mensal de cirurgias que a PMJP realiza é de 937, mas com o esforço concentrado da parceria o número deve ter um aumento de 52,84% ao longo do ano.

“Apesar de todo esforço da prefeitura hoje são realizados por mês 937 procedimentos, mas a partir desse esforço entre Estado e prefeitura ficaremos satisfeitos se chegarmos a mais de 12 mil ao longo do ano para evitar que pessoas esperem quatro, cinco ou até oito meses por uma cirurgia de próstata, catarata ou uma hérnea”, ressaltou o governador Ricardo Coutinho.

Para o governador o esforço conjunto sinaliza um novo tipo de relação com os municípios. “Queremos ampliar o número de cirurgias em Cajazeiras, em Campina Grande e em outros municípios com gestão plena de saúde, mas para isso as prefeituras precisarão se esforçar para, junto com o governo do Estado, transformar os poucos recursos em algo muito maior, que reduzirá o tempo de espera dos pacientes que precisam de cirurgias”, afirmou.

O prefeito de João Pessoa, Luciano Agra, afirmou que o convênio visa resolver o problema da longa espera pelas cirurgias eletivas e que a PMJP vai contratar equipes de especialistas para realizar cirurgias em áreas como oftalmologia e urologia. “O cidadão não pode ficar esperando meses por uma cirurgia de hérnia, catarata ou próstata, por exemplo”, enfatizou o prefeito.

Segundo a secretária de Saúde da capital, Roseana Meira, o tempo de espera transformava a necessidade de uma cirurgia eletiva em uma cirurgia de emergência o que trazia danos para a administração dos hospitais. A secretária garantiu também que os atendimentos do chamado ‘Mutirão das cirurgias’ já estão sendo realizados. “Já estamos fazendo algumas operações, como as de catarata, já nesta semana”, declarou. Estão previstas no pacto, procedimentos em seis especialidades médicas nos hospitais Edson Ramalho, Arlinda Marques, Santa Isabel, além de clínicas particulares contratadas pelo município. A estrutura dos hospitais do município não passará por nenhum tipo de alteração, segundo a secretária de Saúde.

Cooperação vai combater a dengue

Durante a solenidade, foram firmados, ao todo, três pactos entre a prefeitura da capital e o governo do Estado. Além do convênio, também foram assinados termos de cooperação técnica no combate à dengue, que trará um aumento nos recursos no combate da doença, e de parceria entre a Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência (Funad) e maternidades públicas e privadas de João Pessoa para implantação do programa “SOS bebê de alto risco”, com o objetivo de integrar e humanizar o atendimento aos bebês que nasçam com deficiência.

IDENTIFICAÇÕES

Na solenidade em que foram firmados os três pactos de cooperação técnica entre prefeitura e governo, na manhã de ontem, também foram entregues as primeiras três identificações especiais para portadores de câncer. As carteirinhas, que possibilitam o acesso gratuito aos transportes intermunicipais, foram produzidas pelo IPC e entregues de maneira simbólica a três portadores da doença. O transporte intermunicipal gratuito para vítimas de neoplasias e acompanhante está previsto pela lei sancionada desde Fevereiro deste ano.

De acordo com o presidente do Instituto de Polícia Científica (IPC) Humberto Pontes, até o momento, já são cerca de 102 pessoas cadastradas e a entrega das carteirinhas iniciou na tarde de ontem. As carteiras têm validade de um ano e levam, em média, 10 dias para serem confeccionadas. Para se cadastrar, é necessário comparecer à sede do IPC, no bairro do Cristo Redentor, portando laudo médico de, no máximo seis meses e todos os documentos pessoais.

Fonte: débora ferraz e luzia santos

A LUTA DE ALAN CAVALCANTI PARA MELHORAR O SINAL DA TELEFONIA MOVÉL EM PIANCÓ


A luta incansavel do administrador de empresa o Senhor Alan Cavalcanti não parar, Ele estar lutando pela a conquista do sinal da Operadora TIM na cidade de Piancó, aonde já teve sucesso em trazer para nossa cidade a equipe de engenharia da operadora, onde os mesmos já tinham locado até o terreno para a instalação da BPS (Antena), mas por motivos inexplicáveis a sociedade, o alvará de funcionamento foi negado por parte da administração publica de Piancó;



Quem pode nos explicar isso??? Porque o Alvará foi negado?????, Será que os moradores da cidade de Piancó não teria direito de ter outro sinal de operadora de telefonia movél alem da CLARO???



Eu Júnior Duarte estive com ALAN CAVALCANTI, na diretoria da TIM NORDESTE solicitando o empenho de toda a equipe para instalação imediata do sinal da operadora TIM na cidade de Piancó, já que em toda cidade circuvizinhas tem sinal da Tim, recebemos o compromisso da diretoria da operadora que estariam de novo mas uma vez tentando conquistar o alvará de funcionamento na cidade de Piancó, já em conversa com a equipe de advogados da TIM eles lembram uma coisa, A TIM não vinham para Piancó de graça estariam pagando o imposto ISS ( Imposto Sobre Serviço) a prefeitura que é de 5% sobre todo o faturamento recebido neste município; Será que isso não era vantagem para o município alem de estar dando mas uma opção de sinal aos moradores do município de Piancó e todos os seus visitantes???.

Vamos descer do Palanque Eleitoral senhores administradores de Piancó, e vamos se unir pois queremos o melhor para Piancó e não para um grupo eleitoral como vem acontencedo.


População e Blogueiros vamos cobrar da prefeitura este Alvará que por lei é obrigado a expedir.





NOTA DA ENERGISA SOBRE A FALTA DE ENERGIA NA SEGUNDA(18) A TARDE

     A Energisa esclareceu no final da tarde desta segunda-feira (18) a falta de energia elétrica que atingiu cerca de 100 municípios paraibanos.
De acordo com nota enviado à imprensa, a concessionária  disse que o problema foi decorrente da   falha de um transformador,localizado na base da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF) na cidade de Milagres (CE).

Confira a Nota

    A Energisa informa que um problema decorrente da falha de um transformador,localizado na base da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF) na cidade de Milagres (CE), foi a causa da pane elétrica que atingiu o sertão paraibano na tarde
desta segunda-feira (18), das 13h até as 13h52.
Foram afetadas as subestações de Malta, Teixeira, Pombal, Patos, Jatobá, Santa Luzia, Jericó, São Bento, Paulista, Catolé do Rocha, Brejo do Cruz, Coremas, Piancó, Itaporanga, Ibiara, São Gonçalo, Cajazeiras, Sousa, São João do Rio do Peixe e Uiraúna e algumas cidades vizinhas destas localidades, totalizando cerca de 100 municípios.
ENERGISA

POSTOS DE GASOLINA E ALCCOL BAIXAM O PREÇO DO COMBUSTIVEL

A gasolina diminuiu de preço em 15 postos de João Pessoa, enquanto o álcool teve queda em seis. A atualização dos valores foi verificada durante o último levantamento realizado pela Procuradoria do Consumidor de João Pessoa (Procon-JP). A pesquisa também mostrou que o álcool não é um bom combustível para quem quer economia. Além de render menos, em alguns postos chega a custar mais que a gasolina.

Em alguns postos, a gasolina é mais cara se o pagamento for a prazo. No valor pago à vista, o preço da gasolina tem variação de 18% entre o valor mais alto e o mais baixo. A diferença é de R$ 0,44, entre o litro mais barato (R$ 2,45) e o mais caro (R$ 2,89).

O valor mais barato da gasolina, de R$ 2,45, é vendido nos postos das redes Opção, Expressão e Aliança. O litro mais caro, de R$ 2,89, está sendo comercializado no Posto Villagio (Bancários).

O álcool vendido em João Pessoa está com variação de 25,6%, entre o valor mais barato, que foi R$ 1,99 (Posto Nossa Senhora de Fátima, Bairro dos Estados) e o mais alto, que chegou a R$ 2,49 (Posto Emília, Manaíra), o que representa uma variação de R$ 0,51 no litro do combustível.

Em relação ao diesel, o menor preço, R$ 1,88, pode ser encontrado no posto da Rede Opção localizado no Distrito Industrial. O maior preço, de R$ 2,19, foi encontrado no Posto Villagio. Por fim, o gás natural pode ser encontrado a R$ 1,59 no Posto Bom Jesus, na BR-101.


Enquanto isso no vale do Piancó o combustivel continua no mesmo preço tendo a variação de R$2,54 na cidade de Conceição PB e R$ 2,85 na cidade de Diamante, já em Piancó o combustivel tem uma variação de R$ 2,72 a R$ 2,79, quem pode explicar já que em Conceição que é distante de Piancó em media 90Km a gasolina lá estar mas barata em media R$ 0,18 lá tambem vem da cidade portuaria de Cabedelo e tem frete e paga os mesmos impostos.

PRESIDÊNCIA DO PSDB/PB, PODE SER DE UM DEPUTADO FEDERAL

O deputado federal Ruy Carneiro admitiu durante entrevista a um programa radiofônico Paraíba Notícia na 100.5 FM que a presidência do PSDB paraibano pode ser ocupada por uma terceira opção que não seja os senadores Cássio Cunha Lima e Cícero Lucena.
A solução evitaria a continuação da suposta disputa interna entre os dois políticos e unificaria o partido rumo às eleições do próximo ano.
“O que não pode é ficar é com essa disputa instalada no partido porque é ruim para o PSDB e também para Cássio e para Cícero”, disse o parlamentar.
Na ocasião, Ruy também descartou uma disputa entre Cássio e Cícero pela presidência do partido na Paraíba. “Acredito que não haverá disputa porque Cássio já disse que não será candidato desse jeito. O nosso objetivo é um acordo”, frisou.

SEM PRESTIGIO

DESPRESTÍGIO: mesmo com sete representantes em Brasília, PMDB da Paraíba continua “escanteado”; ‘calvário’ de Zé Maranhão já dura quase quatro meses

O silêncio apresentado pelo ex-governador José Maranhão (PMDB) que até pouco tempo comandou a política partidária na Paraíba, é sintomático, em face do completo desprestígio do pmdebista que até agora não foi indicado para um cargo no Governo Dilma Rousseff(PT).

As primeiras especulações davam conta que Zé poderia ocupar um Ministério: o primeiro especulado foi o da Previdência, sonho desfeito com a indicação do político ‘vizinho’ Agripino Maia (RN), e os meses se passaram e Maranhão foi lembrado para a: Sudene, Caixa Econômica, Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Codevaf e Embratur.

Tal conjuntura reflete a completa inoperância dos representantes do Estado, que são bem representados em números: sete cadeiras na Câmara, 5,  e Senado, 2,  (a Paraíba dispõe de 15 cadeiras em Brasília).

Quando chegam à Paraíba os deputados federais: Benjamin Maranhão, Nilda Gondim, Wilson Filho, Hugo Motta, Manoel Júnior, e os senadores Vitalzinho e Wilson Santiago, todos do PMDB, defendem ardorosamente a indicação e chegam até a criticar o Governo do PT, como lembramos posicionamento de Manoel:

“Vamos questionar enquanto partido a quem de direito! Vamos questionar a Palocci (Casa Civil), Luis Sérgio (Relações Institucionais) e as pessoas que estão coordenando essa questão. Por que algumas nomeações de alguns partidos e no PMDB não? O PMDB é Governo e a bancada precisa se reafirmar em relação a esse posicionamento e esta questão”, desabafou.

Júnior também sustentou o argumento de que o PMDB paraibano é aliado de ‘primeira’ hora do Governo petista e alfinetou o ex-presidente Lula (PT).

“Maranhão não está pedindo emprego! A bancada da Paraíba está pedindo um reconhecimento. Antes mesmo de Lula se transformar em presidente da República ele já tinha o apoio do PMDB da Paraíba diferente de outros estados, infelizmente, a memória do presidente Lula e daqueles que fazem o poder talvez tenham provocado o esquecimento”, ironizou.

Mesmo sendo da base aliada, o único deputado federal do PT alfinetou o difícil momento do líder do PMDB: “Tinham dois indicados para a presidência da Caixa e ele perdeu!”, disparou o petista Luis Couto.

O sobrinho de Zé, o deputado federal Benjamin Maranhão desabafou: “A nomeação não é uma prioridade para José Maranhão”, disparou.

Sabe-se que tais ressentimentos ou insubordinações não são explicitados nas votações do Congresso Nacional, onde os representantes do PMDB no Estado agem como verdadeiras ‘marionetes’ fazendo o gosto e os dizeres da presidenta Dilma Rousseff (PT).

Enquanto a nomeação não chega, é grande a expectativa para que o ex-governador se pronuncie sobre o impasse, silencio que pode ser quebrado na próxima semana, Outra hipótese levantada pela imprensa nesta segunda, é a de que José Maranhão pode anunciar a aposentadoria da vida política nos próximos dias. O PB Agora tentou entrar em contato com o ex-governador porém ele não atendeu ao telefone celular,

Fonte: PB Agora

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Falta INFRA-ESTRUTURA na cidade de PIANCÓ

Com as ultimas chuvas caídas na cidade de Piancó, a cidade nós mostra como esta, a sua infra-estrutura, pois varias casas foram invadidas por terra, trazidas das chuvas por falta de saneamento básico, redes de esgotos, calçamentos, e com tudo isso, a saúde da população é a mais prejudicada.
Como mostra as figuras abaixo:

O pior, não é só isso, mas as doenças que esta falta de infra-estrutura pode causar a população da nossa cidade, pois as águas das chuvas trazem restos de lixo, urina de ratos, fezes de animais, etc. Cadê o poder executivo e os secretários que cuidam desta pasta que não estão vendo o que esta acontecendo na cidade, ou melhor, enxergam, mas só no período eleitoral, quando precisam de votos, desta população carente.


População do bairro do Santo Antonio, não se calem para este tipo de coisa, mostra ao povo publico, que vocês não estam abandonados e que nas próximas eleições, os governantes que aparecerem por este bairro fazendo promessas, promessas estas que até hoje não foram cumpridas, mostram que vocês tem memória e que não vão se vender por promessas e blábláblás, no período eleitoral e no final deixam vocês esquecidos.


MOSTREM QUE O POVO TEM VEZ E QUEM ELEGE QUALQUER REPRESENTANTE PUBLICO SÃO A MAIORIA DA POPULAÇÃO, QUE SÃO VOCES OS MAIS NECESSITADOS.

Abrimos as portas para a China, diz Dilma após visita ao país asiático

Presidente disse que parcerias vão gerar milhares de emprego no Brasil. Viagem à China gerou 20 acordos comerciais e a venda de 35 novos aviões.

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (18), em seu programa de rádio “Café com a Presidenta”, que a visita feita por ela à China na semana passada novas oportunidades para o fortalecimento da economia brasileira. "Nós alcançamos os nossos principais objetivos, o de abrir as portas para que mais produtos brasileiros", disse. "São investimentos que, além de trazer dinheiro e novas tecnologias, também vão gerar emprego para milhares de trabalhadores", afirmou. A viagem de Dilma ao país asiático resultou na venda de 35 novos aviões e na assinatura de 20 acordos comerciais, principalmente na área de ciência e tecnologia. Dilma também afirmou que é preciso investir em capacitação para atender às novas demandas. "Nós vamos ter muito trabalho pela frente, vamos ter de formar brasileiros e brasileiras capacitados para trabalhar nesta área de tecnologia de informação". A presidenta valorizou a reunião com os países que compõem o Brics, o grupo de países emergentes formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Para ela, as discussões foram importantes na luta contra a pobreza, por um comércio mundial mais equilibrado e pelo controle da especulação financeira. Viagem à China A comitiva brasileira realizou uma viagem de seis dias à China. Dilma e o presidente chinês, Hu Jintao, assinaram uma série de acordos de cooperação nas áreas de política, defesa, ciência e tecnologia, recursos hídricos, inspeção e quarentena, esporte, educação, agricultura, energia, telecomunicações e aeronáutica. Em um comunicado conjunto, Dilma e Hu Jintao reiteraram o compromisso de promover "o desenvolvimento das relações bilaterais com visão estratégica e de longo alcance".


Fonte: G1

Gastos dos 3 senadores: R$ 61 mil

Entre os meses de fevereiro e março deste ano, os três senadores paraibanos gastaram R$ 61.586,89 com verbas indenizatórias. O campeão de despesas foi Wilson Santiago (PMDB), que usou R$ 25.650,22.

A maior parte deste valor, segundo relatório disponibilizado na página do Senado Federal, foi destinada à divulgação da atividade parlamentar. Somente no mês de março, foram destinados R$ 11.750 para tal finalidade. Em fevereiro, foram R$ 8.250 destinados à divulgação.

Por outro lado, dos três senadores, o que menos gastou nestes dois meses foi Cícero Lucena (PSDB), que somou R$ 16.444,18. Conforme o relatório divulgado, todo o valor foi destinado a despesas com locomoção, hospedagem, alimentação, combustíveis e lubrificantes.

O terceiro representante da Paraíba no Senado, Vital do Rêgo Filho (PMDB), gastou um total de R$ 19.492,49 no primeiro bimestre do mandato, que foi iniciado em 1º de fevereiro. Entre as principais despesas estão a divulgação de atividade parlamentar e a hospedagem. Assembleia é uma ‘caixa-preta’

Com canais de transparência nos gastos das duas principais casas legislativas do país - o Senado Federal e a Câmara dos Deputados -, o fato é que os parlamentares representantes dos estados em Brasília tornam-se muito mais suscetíveis de um acompanhamento mais rigoroso da sociedade.

No caso da Assembleia Legislativa da Paraíba, ocorre justamente o contrário: não existe qualquer ferramenta ao alcance da sociedade capaz de acompanhar, com detalhamento preciso, os gastos com os mandatos dos deputados estaduais.

Para o deputado estadual Anísio Maia (PT), já passou do momento da Assembleia paraibana usar o exemplo do Senado e da Câmara e adotar um Portal da Transparência, onde os parlamentares prestem contas dos recursos a que têm acesso para exercer o mandato.

“Esse clima de ‘caixa-preta’ só faz aumentar a desconfiança em relação ao exercício de nossos mandatos”, acredita o deputado petista. Ele garante que vem ganhando apoio de outros parlamentares da Assembleia Legislativa, mas também vem enfrentando críticas de alguns colegas que não pretendem abrir a ‘caixa-preta’.


Fonte: NX

domingo, 17 de abril de 2011

Bancada da PB gasta quase meio milhão em verba indenizatória

Em apenas dois meses de legislatura, os deputados federais paraibanos já gastaram R$ 416.119,84 com verba indenizatória, de acordo com relatórios divulgados na página da Câmara Federal na internet (www.camara.gov.br). Somente no mês de fevereiro - o primeiro deste mandato -, os parlamentares paraibanos gastaram R$ 240.341,69. Em março, foram R$ 175.748,15.

Entre os doze deputados paraibanos, Damião Feliciano (PDT) foi o que mais gastou, acumulando R$ 61.250,34 nos dois primeiros meses da legislatura. Os gastos envolvem serviços postais, emissão de bilhetes aéreos, telefonia, manutenção de escritório de apoio à atividade parlamentar e locação de veículos. Entretanto, a maior parte deste valor (R$ 22 mil) foi destinada à divulgação da atividade parlamentar. A reportagem do JORNAL DA PARAÍBA tentou entrar em contato com a assessoria do deputado, mas não obteve retorno.

No segundo lugar da lista dos que mais gastam, está o deputado Ruy Carneiro (PSDB), que acumulou R$ 52.244 em fevereiro e março, ficando no segundo lugar do bimestre e aparecendo como o que mais gastou no último mês (R$ 31.627).

A maior parte do que foi gasto em março por Ruy, R$ 16 mil, foi destinada ao pagamento de consultorias, pesquisas e trabalhos técnicos.

“Fiz despesas dentro do que a legislação permite. Contratei uma assessoria e só fiz despesas necessárias e, o mais importante, dentro da lei”, comentou o deputado, acrescentando que os valores gastos em cada mês variam de acordo com as necessidades. “Preciso comprar passagens, por exemplo. Às vezes a passagem está mais barata, outras vezes está mais cara”, completou.

Completando a lista de despesas dos paraibanos no primeiro bimestre do mandato iniciado em fevereiro estão Efraim Filho (R$ 44.580,44), Hugo Motta (R$ 43.044,09), Romero Rodrigues (R$ 36.499,24), Luiz Couto (R$ 36.279,56), Nilda Gondim (R$ 24.617,52), Benjamin Maranhão (R$ 24.189,81), Wilson Filho (R$ 23.315,57), Manoel Júnior (R$ 18.922,08), Aguinaldo Ribeiro (R$ 9.148,40) e Wellington Roberto (R$ 5.296,25). Telefone entre os maiores gastos

A verba indenizatória pode ser usada para cobrir despesas como manutenção de escritório de apoio parlamentar, locação de veículos, compra de combustíveis e lubrificantes, passagens aéreas e serviços postais, mas tomando como base o relatório disponibilizado pela Câmara, entre os gastos “preferidos” dos deputados paraibanos estão as despesas com a telefonia.

Neste item, o recordista foi o deputado Manoel Júnior (PMDB), que segundo o relatório disponibilizado pela Câmara, sóe em fevereiro gastou R$ 7.113,63 somente com ligações telefônicas. Em março, os gastos foram menores, mas não deixam de chamar atenção: R$ 3.174,18.

Por outro lado, entre os que menos gastaram com telefonemas nestes dois meses está a deputada Nilda Gondim (PMDB), que no mês passado teve despesas de R$ 822 e, em fevereiro utilizou R$ 1.058,97.

Em alguns casos, também chama atenção, o valor gasto com a divulgação da atividade parlamentar. No mês de fevereiro, por exemplo, o deputado Efraim Filho (DEM) destinou aproximadamente 44% da verba indenizatória para o pagamento de divulgação. Em janeiro, o democrata gastou R$ 26,5 mil. Deste total, R$ 11.850 foram com divulgação.


Fonte: JP

Governo da PB: o quinto no NE

O governo do Estado recebeu R$ 549 milhões este ano do governo federal. No Nordeste, o Executivo paraibano embolsou o quinto maior volume de recursos entre janeiro até a última sexta-feira (15).

A maior fatia do bolo para o governo paraibano foi do FPE (Fundo de Participação dos Estados) com cerca de 434 milhões, seguida pelo Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) com mais de R$ 92 milhões.

A União ainda repassou uma quantia significativa da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE-Combustíveis) na ordem de R$ 6,4 milhões. Já da cota-parte do Salário-Educação o governo do Estado recebeu pouco mais de R$ 3,6 milhões.

Quanto às transferências do Fundo Especial dos Royalties pela Produção de Petróleo e Gás Natural, o repasse chegou a R$ 1,4 milhão.

PORTAL

O Portal da Transparência ainda revela o repasse de verbas para aquisição e distribuição de medicamentos excepcionais, no valor de R$ 2,9 milhões.

Em relação ao programa de Atenção à Saúde da População para Procedimentos em Média e Alta Complexidade, foram repassados pelo governo federal uma importância superior a R$ 3,3 milhões. Ainda houve a transferência de R$ 778 mil para aperfeiçoamento, implementação e acompanhamento dos processos de planejamento e de avaliação do Ministério da Saúde, entre outros repasses.


Fonte: JB Marcha a Brasília: gestores cobram recursos Os prefeitos paraibanos aguardam ansiosos a chegada dos dias 10,11 e 12 de maio, pois vão participar da XIV Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios promovida anualmente pela Confederação Nacional de Municípios (CNM). O encontro mobiliza gestores de várias partes do Brasil para debater e reivindicar temas na luta municipalista como, por exemplo, a regulamentação da Emenda Constitucional 29 e a divisão dos Royalties da exploração do Pré-Sal para todos os Municípios. O presidente da entidade, Paulo Ziulkoski, está convidando todos os prefeitos a se juntarem à luta. “É importante a presença das caravanas, pois elas mostram como as entidades estaduais conseguem se mobilizar. É preciso a participação de todos para o avanço dos debates”, argumenta. A caravana da Paraíba será comandada pelo presidente da Famup, Rubens Germano, prefeito de Picuí. FUNDEB Levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM) mostra que o débito dos Estados com os Municípios no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização do Magistério (Fundeb) soma R$ 1,2 bilhão. O montante se refere às diferenças constatadas pelo Ministério da Educação (MEC) a partir da apuração da receita disponível pelos Estados ao Fundeb e a efetivamente arrecadada de 2007 a 2010. Durante esse período, o débito total dos governos estaduais ao Fundeb é de R$ 2,1 bilhões. Porém, os recursos do Fundo são distribuídos aos próprios Estados e Municípios, tornando o débito aos Municípios menor. Para recebimento dos recursos, os governos estaduais precisam liberá-los, para que o Banco do Brasil efetue os créditos. (JB)